Pimenta malagueta: faz mal ou tem benefícios à saúde? Saiba mais sobre esse tipo tão conhecido de pimenta. Dicas de como consumi-la, seus benefícios à saúde e também se pode fazer mal.

pimenta malagueta beneficios

A Pimenta malagueta ocupa um lugar muito especial em nosso imaginário popular!

Quando pensamos em algo bem picante, lembramos imediatamente da figura de uma pimenta muito vermelha e comprida.

Assim com quase todas pimentas, com exceção das pimentas-do-reino, a Pimenta malagueta é uma espécie americana.

Seu nome, entretanto, foi emprestado de um condimento africano, bem picante: a pimenta-da-Guiné, ou Aframomum melegueta!

Esse “empréstimo” se deve à similaridade entre a picância das duas especiarias, e foi oficializado desde os tempos das colônias ultramarinas.

Benefícios da Pimenta malagueta

pimenta malagueta

A Pimenta malagueta silvestre é rica em capsaicina, o que é muito bom para o homem! Além disso, possui baixos teores de piperina.

Todavia, é bom saber que a maioria das “malaguetas” comercializadas são, na verdade, espécies híbridas.

Os cruzamentos que formaram essas “novas” malaguetas possuem compostos um pouco diferentes que a original.

Uma maneira fácil de reconhecer o fruto silvestre é o seu tamanho inferior às demais, e a ponta levemente esverdeada.

Entretanto, é assim que as conhecemos, não havendo diferenças realmente importantes. Mas, vamos aos benefícios!

  • Estimula a produção de insulina

Embora, ainda não conclusivos, existem estudos que apontam que a Pimenta malagueta possua propriedades hipoglicêmicas.

  • É rica em vitamina C e flavonoides

Estes nutrientes possuem propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e analgésicas.

  • Melhora a vasodilatação

Seus compostos bioativos e antioxidantes favorecem o aumento da vasodilatação, aumentando a chegada de nutrientes e oxigênio nos músculos.

  • É anti-inflamatória

Sua ação anti-inflamatória tem resultado direto nas dores associadas às inflamações neurogênicas periféricas.

Há quem diga que seus efeitos anti-inflamatórios podem aliviar as dores decorrentes da artrite reumatoide.

  • É quimiopreventiva

Um dos efeitos do tanino está associado à prevenção de alguns tipos de câncer, com especial atuação nos tipos pulmonar, hepático e gástricos.

  • Combate o envelhecimento precoce

Resultado decorrente do já mencionado efeito antioxidante da Pimenta malagueta.

Como consumir a Pimenta malagueta

pimenta-faz-mal-para-o-figado-

Bem, devemos reconhecer que não é todo mundo que consegue suportar a ardência de algumas pimentas.

E, dentre as pimentas conhecidas mais picantes, sem dúvidas, a malagueta possui o seu destaque.

Todavia, o que para alguns é justificativa para não usar, para outros é exatamente o contrário.

Muito utilizada tanto no Brasil quanto em outros países, a Pimenta malagueta é excelente para molhos e conservas.

Vejamos alguns usos culinários da Pimenta malagueta:

  • Na Guacamole

Prato típico mexicano, a guacamole é confeccionada com polpa de abacate, alho, tomate, cebola, coentro, malagueta, sal e suco de limão.

  • Na fabricação de molho tabasco

Molho muito comum e apreciado nos Estados Unidos, fabricado a base de pimenta tabasco (malagueta).

  • No famoso vatapá baiano

Todo e qualquer vatapá baiano que se preze leva uma quantidade considerável de Pimenta malagueta.

Mas, claro, como há quem não goste de excesso de pimenta, alguma quantidade é oferecida mais “fria”.

Esse tipo de oferecimento, inclusive, é responsável por vários equívocos e decepções quando do pedido de uma porção de vatapá.

Quando o vatapá está para ser servido, perguntam: “Quente ou frio?”. Muitos pensam que o vendedor está se referindo à temperatura.

Mas, na verdade, ele quer saber se a pessoa quer “pouco ou muito” apimentado. Daí, algumas confusões.

  • Diversos pratos de origem mexicana

É pública e notória a predileção dos mexicanos por comidas picantes e, por ser uma variedade com alta picância, a malagueta é muito usada.

Além destes usos, a Pimenta malagueta ainda é empregada na confecção de vários pratos, principalmente à base de peixes e carnes.

Mas, para surpresa de muitos, a pimenta também é utilizada em doces e sobremesas de muito bom gosto e sabor inigualáveis.

Pimenta malagueta em doces, é possível?

geleiadepimenta

Não faz muito tempo, fui presenteado com uma geleia de Pimenta malagueta! E qual não foi a minha surpresa? Adorei!

Afora o famoso chocolate com pimenta, tão badalado em uma novela global, nunca havia provado a pimenta fora de pratos salgados.

A primeira experiência foi muito boa e estou propenso a encarar novas possibilidades, mas com muita cautela e comedimento.

Quer conhecer alguns exemplos?

  • Doce de pimenta em calda

Feito a partir de váriadas pimentas, principalmente, a malagueta (calabresa), o doce de pimenta em calda é uma experiência sem igual!

Importante ressaltar um detalhe que, embora tratado somente agora, serve para todo e qualquer uso da Pimenta malagueta.

Não só da malagueta, na verdade, que é a possibilidade da diminuição da ardência ao retirar as sementes ou parte delas.

Sabe-se que a maior incidência da capsaicína está nas sementes das pimentas de um modo geral.

Assim, sua retirada importa em diminuição importante de seu potencial de picância. Talvez muito interessante em relação aos doces.

  • Sorvete de pimenta

De preparo infinitamente mais delicado, o sorvete de pimenta não é feito com a pimenta in natura, mas com sua geleia!

Esse, confesso, ainda não comi, mas, penso ser interessante a junção da picância da malagueta com a propriedade de dormência do gelo.

Fico imaginando que chegar ao consenso entre o momento de picância e leve dormência deve resultar em uma experiência ímpar.

E, respondendo à pergunta que precedeu este breve tópico: Sim! É perfeitamente possível a mescla entre o picante e o doce!

Todavia, como qualquer coisa na vida, o mais importante é o bom senso e o equilíbrio, principalmente, quando assunto é a Pimenta malagueta!


Agora que você já sabe tudo sobre pimenta, diga-nos o que achou! Comente! Dê sugestões, e aguarde por novidades em breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *