Pimenta do reino faz mal? Entenda os riscos e contraindicações Saiba se a pimenta do reino realmente faz mal à saúde. Saiba se ela pode fazer mal para o estômago, intestino, rins e dicas de como consumir.

pimenta do reino faz mal a saude

A pimenta do reino é uma das mais utilizadas aqui no Brasil, mas seu consumo é cercado por certas polêmicas. Muita gente acredita que a pimenta do reino faz mal para o organismo.

Assim, segundo alguns boatos, ela poderia elevar a pressão, causar hemorroidas e agravar problemas estomacais. Será que o que se diz por aí é verdade? Para descobrir se pimenta do reino faz mal é preciso investigar as principais propriedades dela.

Veja mais sobre o assunto neste artigo!

A pimenta do reino faz mal para o estômago

pimenta do reino faz mal a saude

Dizia-se até pouco tempo que todos os tipos de pimenta faziam mal à saúde. Porém, estudos recentes mostram que apenas um tipo de pimenta do reino faz mal e pode trazer diversos problemas para o estômago.

A pimenta é uma ótima aliada para a gastrite, mesmo com alguns especialistas não concordando com isso, outros insistem em dizer que esta é realmente um bom remédio. A pimenta dedo de moça, por exemplo, trata e cicatriza a gastrite. Mas a pimenta do reino faz mal e pode causar problemas.

A origem do produto nunca é confiável. Deve-se moê-la na hora, comprando pimenta do reino em grãos. Comprando só o pó, corre-se o risco de o produto não ser puro, o que pode prejudicar o estômago e o intestino. Esse, é, apenas um dos fatores.

Como a pimenta do reino faz mal a saúde?

pimentapreta

O que explica o possível efeito nocivo da pimenta é seu sabor ardido. De acordo com especialistas, os componentes responsáveis pelo ardor podem ser irritantes para as mucosas do intestino e do estômago.

Por isso, pessoas que já têm problemas como gastrite, diverticulite e úlcera devem evitar o uso da pimenta, principalmente em excesso, pois, nesse caso, a pimenta do reino faz mal para a saúde.

Porém, fora essa recomendação, o consumo da pimenta do reino não é, necessariamente, prejudicial. O ideal é evitar os exageros para que os componentes da pimenta não se tornem agressivos para o organismo.

Em quantidades moderadas, a ingestão da pimenta não só é aceita como também é tida como bastante benéfica para o corpo humano.

Devido a sua ardência, a pimenta do reino possui alguns componentes específicos que podem irritar a mucosa que reveste e protege alguns órgãos, dentre eles o estômago e o intestino.

Quem tem estômago sensível, possuindo doenças gastrointestinais, como a gastrite e a úlcera, provavelmente irá sentir mais essa irritação do que as outras pessoas.

  • Existem benefícios?

A ação benéfica da pimenta-do-reino já é conhecida há vários séculos e vem sendo estudada pelos cientistas. Por conter um alto teor de antioxidantes, ela é considerada como anti-inflamatória. Além disso, também tem efeito analgésico, antisséptico, diurético e laxante.

Seu consumo pode ajudar a aliviar os sintomas da sinusite, bem como a congestão nasal. Com relação a digestão, pode combater os gases e melhorar o processo de quebra dos nutrientes presentes nos alimentos. Por ser anti-inflamatória, a pimenta ainda melhorar a artrite e as dores reumáticas.

Em termos nutricionais, podemos dizer a pimenta é fonte de sais minerais como cálcio, ferro, manganês, potássio e magnésio. Ela também contém vitaminas C e K, que fortalecem as defesas do organismo e melhoram a coagulação sanguínea.

Por isso é importante dizer, a pimenta do reino faz mal, mas dependendo do caso ela pode ser um verdadeiro remédio. Você precisa ter atenção para identificar quando o consumo é saudável e quando é prejudicial.

Dicas para consumir a pimenta do reino

pimenta do reino faz mal

É recomendável que o grão da pimenta seja moído na hora, pois isso evita riscos de contaminação e adição de produtor químicos que ajudam a conservar o tempero.

Como a pimenta do reino faz mal se for consumida errada, você pode investir em um moedor caseiro, vendido nos supermercados, ou mesmo triturar a semente com o auxílio de um pilão.


Espero que tenha gostado das orientações contidas no artigo. Até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *